À procura das origens

“A ideia surgiu em setembro de 2008 com uma pergunta para a qual eu não tinha a resposta: como é que um familiar próximo, depois de casar ficou com o apelido Sá e Seixas duas vezes no seu nome. Com base nessa pergunta parti em busca da resposta. E encontrei-a! Os bisavós eram irmãos”, descreve Telmo Seixas para justificar a paixão de estudar as árvores genealógicas do concelho .
“Por acaso encontrei na internet um site especializado na área, foi o «click» que faltava para dar início a esta árvore genealógica. Tinha como objetivo recolher o máximo de informação relativa às origens da minha família e só dos meus antepassados, mas como não exerço a minha profissão em Almeirim, complica um bocado a situação”, diz.
Telmo sublinha ainda que “para este tipo de pesquisas são necessários muitos contactos pessoais, muitas horas em horário de expediente (no caso de pesquisas no Arquivo Distrital). Devido a esta incompatibilidade de horários, acabei por começar a ligar outros familiares aos que me eram mais próximos, e outros aos anteriores”.

 

Saiba mais na edição impressa de O Almeirinense

.