Da esquerda para a direita: Desportivismo

Chegamos a junho. Mais uma época desportiva prestes à findar, sendo que a única modalidade coletiva que ainda decorre é o Campeonato Nacional de Futsal, e mesmo esse já está na reta final onde, mais uma vez, se irão encontrar Benfica e Sporting para decidir a luta pelo título. No futebol já decorre a Copa América e o Euro2016 e já se prepara mais um verão escaldante com um mercado ao rubro, com negócios a registarem-se por valores astronómicos. Assim sendo, temos nos escalões seniores o Benfica a levar a melhor no Futebol e no Hóquei em Patins, o Porto a dominar no Basquetebol, vimos nesta época o regresso do campeão ABC de Braga, levando para Braga o título de campeão nacional de Andebol.
Por terras almeirinenses assistiu-se a um 4º lugar na 2ª Divisão distrital, conquistado pelo CF Benfica do Ribatejo, ficando a seis pontos do 1º classificado; na 1ª Divisão Distrital, pelos clubes do nosso concelho, foram conquistados uns honrosos 7º e 8º lugar, em igualdade pontual, da parte do União FC Almeirim e do AD Fazendense, respetivamente, tendo ainda o AD Fazendense conquistado a Taça do Ribatejo.
Mas, em Almeirim, o futebol não passa apenas pelos escalões seniores, por isso fica a referência de que as duas Taças do Ribatejo vieram para o concelho de Almeirim, com a conquista do União FC Almeirim no escalão de Juniores, vencendo o CD Fátima.
Nas restantes modalidades, os conjuntos almeirinenses conseguiram arrecadar no Hóquei em Patins um 4º lugar na 2ª Divisão Nacional, com o HC Tigres e um 9º lugar no Campeonato Distrital de Futsal, conquistado pelo Futalmeirim. Encerramos este capítulo com o Andebol: em Seniores foi alcançado o quarto posto na 3ª Divisão Nacional, e no Nacional feminino de juvenis, a equipa liderada por Artur Roldan conseguiu na 1ª fase do campeonato um 2º lugar, sendo que na 2ª fase não passou ao apuramento para a Fase Final, apenas pela diferença de golos.
Conta-se no concelho de Almeirim, e apenas contabilizando as equipas que disputam campeonatos distritais e nacionais, sem qualquer desprimor para o Campeonato Inatel, quatro equipas de Futebol; apenas três contam com camadas jovens e três com equipas em Seniores, dois clubes com a modalidade de Andebol, uma equipa de Hóquei e uma de Futsal, ou seja, oito equipas no concelho, e volto a dizer sem contar com as equipas que disputam o Inatel.
Qual a hipótese de sustentabilidade para a cultura desportiva almeirinense? Qual a necessidade de haver oito equipas num concelho com cerca de 24 mil habitantes? Quando é que chegamos à conclusão que as equipas unidas alcançam mais sucessos?
Afinal o que importa, elevar Almeirim por meios desportivos ou ganhar a guerra ao clube do mesmo concelho? Do meu ponto de vista? Elevar Almeirim.

 
João Seixas
Partido Socialista
Estudante Universitário

.