Proteção Civil alerta para cheias no Rio Tejo

O mau tempo que se tem feito sentir nos últimos dias provocou o agravamento súbito e significativo dos caudais libertados pelas barragens espanholas, sendo previsível a ocorrência de cheias na bacia do Tejo em Portugal a partir desta tarde de segunda-feira, dia 9 de maio, alerta fonte da Proteção Civil.

Segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém, o caudal do rio Tejo têm vindo a aumentar podendo atingir os 2000m3/s em Almourol, sendo expectável a sua ocorrência de cheia nas próximas seis a oito horas. A previsão aponta para a saída do rio na margem direita, com submersão de zonas ribeirinhas mais vulneráveis, tais como:

– Haja oscilação dos caudais nas zonas confinantes ao Rio Zêzere e Tejo;
– Possível submersão da EN 365 – na ponte do Alviela e a jusante do Pombalinho, com possibilidade de isolamento de Reguengo do Alviela;
– Submersão da EM que liga Ribeira de Santarém a Vale de Figueira;
– Submersão da EN 365 em Palhais;
– Submersão da EN 3-2 na ponte de Reguengo – Valada.

A Proteção Civil alertou as populações para adotarem medidas de proteção, tais como retirar equipamentos agrícolas, industriais, viaturas e outros bens, recolher os animais para locais seguros e não atravessar com viaturas ou a pé estradas ou zonas alagadas.

O responsável pelo Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém pede ainda à população “que se mantenha informada através dos órgãos de comunicação social ou dos agentes de proteção civil, desenvolvendo as ações necessárias para a sua proteção, da sua família e dos seus bens”.

O CDOS de Santarém, informa ainda que, “em articulação com a Agência Portuguesa do Ambiente, IP, EDP produção, Serviços Municipais de Proteção Civil e Agentes de Proteção Civil, continuará a acompanhar a situação e emitirá outros comunicados que se entendam necessários”.

 

 

.