Conselhos para o seu animal de estimação

Com a chegada da Primavera e do bom tempo, sucedem-se os passeios e brincadeiras com os nossos animais de companhia, o que aumenta a exposição a parasitas externos, como pulgas, carraças e mosquitos.

Estes parasitas podem afetar não só os animais, mas também as pessoas que com eles habitam. Além dos problemas dermatológicos que podem causar, como seborreias, perdas de pêlo ou dermatites, os parasitas externos são possíveis transmissores de parasitas gastrointestinais e sanguíneos, podendo provocar doenças nos nossos companheiros. É assim de vital importância a sua prevenção. Existem várias formas possíveis para o fazer, nomeadamente através de medicamentos de aplicação cutânea, as denominadas pipetas, coleiras e comprimidos de administração oral.

A sua escolha deve ser feita no conhecimento da espécie de destino e dos desafios que enfrenta. Teremos um gato de apartamento, onde apenas controlamos as pulgas ou um cão de quinta, muito exposto a carraças? Temos cães que gostam de nadar regularmente e por isso tornam indesejável o uso de pipetas? O correto aconselhamento de qual a melhor opção para o seu animal de estimação é importante, até porque algumas substâncias disponíveis para cães são proibidas para gatos. Existem por isso produtos específicos para cães e outros para gatos. Os gatos não são cães pequenos. Algumas das pipetas antiparasitárias destinadas ao uso em cães contêm piretróides ou derivados e quando administradas a gatos podem causar graves lesões.
Aconselhe-se e proteja o seu animal de companhia e os que com ele convivem.

Boa Primavera!

 

Drª. Inês Pedroso – Clínica Veterinária Campos de Almeirim

.