Águas do Ribatejo investiu 110 milhões na região em cinco anos

Empresa gerida por sete municípios assegura abastecimento de água e saneamento a 150 mil consumidores

A ÁGUAS DO RIBATEJO realizou em cinco anos mais de 110 ME de investimento em obras de infraestruturas e equipamentos para o abastecimento de água e tratamento de águas residuais. Com estas obras, “está garantida uma cobertura de qualidade no abastecimento de água para mais de 95 % dos habitantes dos sete concelhos e o tratamento de cerca de 90% das águas residuais produzidas. A empresa municipal, prevê gastar mais 20 ME até 2017 e o investimento total previsto num horizonte de 40 anos é de 437 ME.
“Este é sem dúvida o maior investimento realizado na região, num projeto criado pelos municípios e gerido apenas pelos seus presidentes com o apoio de um Diretor-Geral e de um quadro técnico. É um exemplo de que os autarcas, com a sua experiência, proximidade e dedicação conseguem fazer mais e melhor que os privados”, refere Pedro Ribeiro, presidente da Assembleia-geral da Águas do Ribatejo e líder do município de Almeirim.
Em cinco anos, a AR construiu 28 reservatórios e reabilitou 17 reservatórios entregues pelos municípios. Foram construídas 13 estações elevatórias, 22 captações, 9 estações de tratamento de águas e 160 km de condutas adutoras e de distribuição. Os investimentos nos sistemas de abastecimento custaram 40 ME.  “Estas obras na rede de abastecimento não seriam impossíveis em cinco anos, não fosse a união e solidariedade que se gerou e o excelente aproveitamento dos fundos da União Europeia”, realça Carlos Coutinho, vogal do Conselho de Administração da AR e Presidente da Câmara Municipal de Benavente.
No saneamento, foram gastos cerca de 70 ME. O Município de Coruche não tinha uma única ETAR e hoje tem 9 novas estações de tratamento de águas residuais num universo de 23 novas ETAR e 13 requalificações realizadas pela AR nos sete concelhos. Foram também construídas 24 estações elevatórias e reabilitadas 15 para elevar o esgoto até às ETAR. As redes de saneamento receberam 260 km de emissários e novos coletores.  Francisco Oliveira, Presidente do Conselho de Administração da AR, e do Município de Coruche, diz que há uma nova realidade no tratamento do ambiente na região. “Este esforço financeiro da empresa, que nos obrigou a empréstimos de dezenas de Milhões de Euros, num momento em que o dinheiro está muito caro, é uma aposta no futuro. Graças ao entendimento de todos os municípios, temos hoje uma qualidade ambiental ao melhor nível da União Europeia que se traduz numa melhor utilização dos nossos espelhos de água e numa clara melhoria da qualidade de vida das populações”, refere.
Cumprindo uma promessa feita  na apresentação das contas, o Presidente da AR anuncia que no ano de 2015, “a AR vai manter o tarifário na componente de água e fará uma ligeira atualização no saneamento” cujo valor ainda não traduz os custos do tratamento dos esgotos. Francisco Oliveira destaca o alargamento do tarifário social a mais famílias com a ampliação dos critérios para apoiar as famílias mais carenciadas. “Em vez de dividirmos os resultados pelas câmaras, aplicamos no investimento em infraestruturas e na melhoria do tarifário, com reduções significativas para as famílias de menores recursos. Isto é a nossa responsabilidade social da Águas do Ribatejo”, conclui o líder da empresa.

.